Categorias

Mostrando postagens com marcador Entrevistas. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Entrevistas. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Larissa Siriani

Hoje recebemos a autora Larissa Siriani em nosso café:


Larissa Siriani Ribeiro Nogueira é uma paulistana que nunca fez a menor ideia do que queria fazer da vida - até começar a escrever. Realimentando o sonho de quando era criança, começou a escrever contos e pequenos livros, e então dando lugar a estórias cada vez maiores, até decidir que queria realmente ser escritora.




L.V.: Primeiramente bom dia. Gostaria que falasse um pouco sobre você e seus livros.

L.S.: Bom, eu sou a Larissa, tenho 21 (quase 22) anos, sou de São Paulo e não sou exatamente boa em falar sobre mim mesma. Acho que é um dos motivos pelos quais eu escrevo. Tenho quatro livros publicados, todos para o público juvenil, três deles de fantasia. Pra não me alongar muito, vocês podem ler sobre cada um separadamente aqui: http://www.larissasiriani.blogspot.com.br/p/livros-lojinha.html


L.V.: Quando você começou a escrever?

L.S.: Meu primeiro caderninho de contos é de quando eu tinha sete anos, então dá pra ter uma ideia. Eu sempre tive essa veia pra escrever, mas só se tornou uma coisa presente mesmo lá pelos meus treze anos, quando escrevi meu primeiro livreto, e comecei a fazer daquilo um hábito, crescendo as histórias, tendo mais ideias. Ser escritora é um sonho que cultivo desde muito cedo. 

L.V.: De onde surgiu a inspiração para a criação dos seus livros?

L.S.: Vem de lugares diferentes, e de todos os lugares ao mesmo tempo. Acho que pra um escritor, tudo é material: as experiências que ele/ela vive, coisas que escuta na rua, um texto, um livro, um filme, uma música. Não dá pra determinar a fonte exata de inspiração pra alguma história porque ela vem de todos os lugares. 


L.V.: Quais os seus próximos projetos? 



L.S.: Por enquanto, estou focada no lançamento do meu próximo livro, O Coração da Magia, que será em Abril. Ele é o segundo livro de uma trilogia, que começa com As Bruxas de Oxford, e é nessa série que eu pretendo focar agora - lançar o segundo livro, e trabalhar na escrita do terceiro. 






L.V.: Qual é seu maior sonho?

L.S.: Poder viver e me manter financeiramente apenas como escritora.

L.V.: Você tem algum autor preferido, ou em quem se inspira? 


L.S.: Vários. Acho que todos os escritores são de alguma forma uma inspiração, senão pela qualidade do texto, pela coragem e pela trajetória. É uma carreira que exige bastante, e eu admiro isso em todos os meus colegas de profissão. Quando estou a ponto de desistir, olho pro lado e vejo uma porção deles que segue firme, que tenta de novo, e não me permito abrir mão do meu sonho. Eles me ajudam a seguir em frente.



L.V.: Como entrar em contato com você?


L.S.: Eu sou super disponível rs. Além do meu e-mail (larissa@larissasiriani.com.br) tem o meu blog (http://www.larissasiriani.blogspot.com.br/), o meu Twitter (@LarissaSiriani), meu cantinho no Youtube (http://youtube.com/larissasiriani) e a minha página no Facebook (https://www.facebook.com/pages/Larissa-Siriani/433065906741540). Não tem erro! 



L.V.: Uma pergunta muito comum na blogosfera: Você faz parcerias com blogs literários? Por quê? 

L.S.: Tento fechar parcerias que sejam vantajosas pra ambos os lados, e em geral, infelizmente, pra mim isso implica não poder enviar livros. Enviar exemplares implica gastar dinheiro, pois todos os livros que eu possuo pra revender são comprados da editora ou da gráfica - passado um certo período, enviar livros pra resenha já não é mais um negócio tão vantajoso pra mim. Sempre estimulo os blogueiros que me contatam a pensar em alguma coisa que possamos fazer em conjunto, de modo que eu possa divulgar o nome deles enquanto divulgando o meu trabalho, mas nem todo mundo tem essa compreensão, ou a criatividade de pensar em iniciativas diferentes. Parceria é muito mais que resenhar livros, e é disso que eu vou atrás.



L.V.: Uma dúvida pessoal: Quem fez a capa de As Bruxas de Oxford? Ela é linda!!!

L.S.: Eu também sou apaixonada por ela rs! Eu trabalho com o mesmo capista há alguns anos, e ele fez quase todas as capas dos meus livros. O nome dele é Renato Klisman, e além das minhas, ele também trabalhou nas capas fantásticas de vários outros autores nacionais. Vocês podem dar uma olhadinha no trabalho dele aqui: https://www.facebook.com/designrk?ref=ts&fref=ts


L.V.: Qual dica você pode dar para um jovem autor ou autora?

L.S.: Persevere e tenha paciência. Escreva bastante, leia muito, faça cursos, se puder, e conheça as pessoas do meio. Não desista só porque alguém te fechou uma porta. Invista em ser diferente e em fazer diferente. Amadureça as ideias, e amadureça a autocritica antes de tentar publicar. E tente. Sempre. De novo. O caminho é longo e raramente é fácil, mas vale a pena. 


L.V.: Deixe um recado para os leitores:

L.S.: Obrigada pra quem leu até aqui! Vocês estão todos acompanhados a conhecer meu trabalho e as minhas loucuras através das minhas redes sociais (perdeu? Volta lá na pergunta 7!) e a entrar em contato comigo quando quiserem! Beijos e ótimas leituras ;)





Postado por Laís Virgínio.



´

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Carolina Contini

 Hoje o divulga autor recebe a Autora Carolina Contini para um café:


Carolina Contini é bacharel em História pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) e natural de Toledo, Paraná. Vive em Ponta Grossa, cercada de livros e ideias, escrevendo sobre as coisas mais absurdas que são extraídas de sua cabeça. Participou da antologia Caçadores de Vampiros (2012) e é autora de Ciclo do Dragão: O Caminho do Guerreiro (2013).



L.V: Fale sobre você:

C.C: Bom, olá, Meu nome é Carolina Contini. E esse realmente é o meu sobrenome, ganhei do meu pai quando eu nasci. Eu sou paranaense, tenho 26 anos, acabei de me formar como Bacharel em História. E apesar de morar no Paraná, a cidade onde eu moro não ficou debaixo de neve, apesar de estar fazendo um frio terrível.

L.V: Desde quando você escrever?

 C.C.: Eu comecei a escrever mais ou menos quando eu tinha 18, apesar de que nada daquela seja remotamente legível, eu guardo tudo em uma antiga pasta de curso debaixo de um monte de papel, mas esse foi um período muito importante para mim, foi quando descobri que poderia tentar escrever.

L.V.: Você acha que para ser uma boa escritora precisa ser uma boa leitora?

  C.C: Com certeza, quando comecei a escrever foi a mesma época em que eu comecei a ler com mais empenho e melhor, quando iniciei a minha escalada literária, adquirindo gostos e tudo mais. Foi lendo outros autores que eu aprendi como escrever, e foi nessa época que eu pensei: "Ei, talvez escrever não seja um sonho tão impossível assim."

L.V.: Foi difícil encontrar uma editora para publicar seu livro?

  C.C.: Na verdade não, a Buriti foi a primeira editora para onde eu mandei o meu original, e logo em seguida eles aceitaram. Eu dei muita sorte.
 

 L.V: Você acha que a literatura brasileira esta sendo desvalorizada?

C.C.: Dizer isso pode me fazer um pouco impopular, mas tudo bem. Em minha opinião, ela não esta sendo desvalorizada, mas valorizada DEMAIS. Autores estão se unindo para impulsionar a literatura brasileira, divulgar novos autores, para que assim todos tenham seu lugar ao sol, e isso é uma ótima coisa. Mas o que tem acontecido muito é que se você fizer qualquer critica sobre um livro de um novo autor nacional, você vai acabar sendo crucificado: "Você TEM que gostar, é literatura NACIONAL.” E querido, eu não sou obrigada a gostar de coisa alguma, seja nacional ou internacional. E a verdade é que o mercado está crescendo, pessoas estão lendo, tanto livros nacionais quanto internacionais. Não é preciso enfiar uma coisa goela abaixo das pessoas, se for bom elas vão ler e vão gostar.

Bem foi isso. Obrigada Carolina Contini pela entrevista.