sexta-feira, 21 de julho de 2017

Acorrentada


 Ando arrastando minhas correntes, me assustando com seu barulho
 Mas nem mesmo sinto elas pesarem. 
E que choro há tanto tempo que passei a chorar por tudo e ao mesmo tempo nem saber porque estou a chorar.
E como andar em águas rasas e mesmo assim me afogar.
Ninguém mais me olha
Ninguém mais me vê 
Esqueceram de jogar a cordar para me salvar.
Deixaram-me aqui presa, solitária, perdida
E de tanto tempo me deixarem
Daqui mais não consigo voltar
Vazio pior não há do que aquele que em mim está.





Por: J.M
Imagem da Web

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá Leitores, espero que tenham gostado do que leram!
Sejam sempre bem vindos!
Fiquem à vontade!